Jovens vão pautar campanha eleitoral

Posted: 5th agosto 2013 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

05/08/2013

Brasil Econômico

Com a experiência de mais de uma década em estudos sobre a classe média, Renato Meirelles, sócio-diretor do instituto Data Popular, lembra que o jovem é o novo formador dessa camada da população e representa um terço do eleitorado brasileiro. "Quem conseguir captar a vontade desse grupo tem grande chance de conquistar essa fatia do eleitorado", diz Meirelles, para quem o grande problema da análise das passeatas foi confundir pretexto com motivo: "As bandeiras eram generalizadas".

Entrevista: Renato Meirelles, sócio-diretor do Data Popular

"QUEM CONQUISTAR OS JOVENS PODE GANHAR A ELEIÇÃO"

O contexto mudou e a nova classe média já não é tão nova assim. Em tempos de economia desaquecida, não é possível impor sobre ela a responsabilidade de continuar impulsionando o crescimento no ritmo acelerado de anos atrás, diz Renato Meirelles, diretor-presidente do Data Popular, instituto especialista em pesquisas sobre o comportamento das classes C, D e E. Ainda assim, a nova classe C permanece consumindo em patamar elevado. Ela movimenta R$ 1 trilhão por ano em compras, quase o dobro da quantia registrada pelo instituto em 2006, de R$ 550 bilhões anuais. Nesse meio tempo, cresceu o número de integrantes e também a renda salarial, o que garante musculatura a essa fatia da população. "O Brasil é o único país entre os BRICs que cresce de baixo para cima", salienta Meirelles. Sobre a nova classe C, pesa a inflação. O aumento dos preços dos serviços, até então um "privilégio" dos mais ricos, hoje corrói o orçamento de um número maior de consumidores. Para reivindicar os direitos recém-descobertos, a nova classe média se uniu à elite, das classes A e B, e elegeu os jovens como formadores de opinião e porta-vozes. Mais do que conquistar a simpatia da classe C, os candidatos têm que dar atenção aos jovens, porque as eleições tendem a ser definidas por eles. "Épreciso escutá-los", diz Meirelles.

André Pires e Fernanda Nunes

Há algum tempo, pesquisas com a nova classe C já revelam descontentamento com saúde e educação. Faltou ao governo atenção a esses indicativos, que culminaram nas manifestações?

Quando você estuda mais, ganha mais dinheiro e tem mais acesso aos serviços privados, você muda sua régua de qualidade. O cara que queria cesta básica, agora quer um plano de banda larga. Estamos falando de brasileiros que passaram a fazer parte do emprego formal e a pagar imposto diretamente retido na fonte. Aí eles começam a entender que a contrapartida dos governos pelos impostos não é favor, mas obrigação. Na prática, vemos que o que trouxe o Brasil até aqui não vai ser o suficiente para nos levar mais para frente.

Qual o perfil dos manifestantes identificado nas pesquisas do Data Popular?

Metade da classe média e metade da classe A e B. A grande maioria era jovem. O jovem da classe A e B não vê a renda da sua família crescer na mesma velocidade que a renda do restante do Brasil. O colega que era filho da empregada está indo no mesmo cinema, tem um tablet e um conjunto de produtos. A outra metade é de jovens da classe C. Esses não têm a memória da melhora de vida que os pais tiveram. Porque o pai passou fome e não tinha emprego e, por isso, têm gratidão. Os maisjovens, não.Amemóriahis-tórica deles é dos últimos cinco anos, quando o Brasil não melhorou. A sensação dele é de perda de perspectiva de crescimento. O que aconteceu no Brasil é muito positivo para a democracia. É uma crise de representatividade.

A classe C será o foco dos candidatos nas próximas eleições?

Sim, por ser metade do eleitorado brasileiro, mas principalmente os jovens. Ele é o novo formador de opinião da classe média brasileira. O jovemjá representa um terço do eleitorado. Quem conseguir captar a vontade desses jovens, que na sua maioria estudaram mais que os pais, contribuíram com a renda da família e, por ter uma memória mais curta, pensam mais no futuro do que no passado, tem grande chance de conquistar essa fatia do eleitorado.

Boa parte da nova classe média é simpática aos programas sociais do governo Lula. Essa simpatia foi transferida para a presidente Dilma Rousseff?

Não tenho dúvida que se a eleição fosse hoje ela seria reeleita. Boapartedaclasse média enxerga nela a herdeira natural do presidente Lula. Mas, por mais que você goste do herdeiro, ele não gera o mesmo sentimento do original. Não confundam aprovação momentânea com lastro afetivo e gratidão construída ao longo dos anos. Isso é patrimônio do Lula.

Um dos argumentos utilizados para evitar o plebiscito da reforma política foi que a população, principalmente das classes C, D e E, teria dificuldade em opinar sobre o tema. A reforma política está na cabeça desse grupo?

O que está por trás da argumentação é o preconceito. Opropos-toéque eles nemvotem. Deveríamos, então, ter um grupo de intelectuais e sábios para decidir o futuro da democracia brasileira. Não existe nada tão antidemocrático quanto subestimar a capaci-dadedopovo brasileiro em decidir o seu futuro. O que está por trás desse discurso é a incapacidade da classe política de traduzir a discussão da reforma política para a maioria da sociedade brasileira. É papel da classe política explicar o que é voto distrital, de uma forma que essa classe entenda, e incentivar o debate.

Em pesquisas, entrevistados chegaram a abordar o plebiscito?

A forma como o plebiscito foi apresentado para a população é mais ou menos como quando você está com o carro quebrado. Você vai ao mecânico e não entende nada de carro. Aí pergunta qual o problema. Ele diz que é a "repimbocada para fuseta". Você desconfia: se ele está falando complicado, está tentando enganar. Foi essa a leitura que o tema reforma política teve da população. Se a pergunta fosse "Você é a favor quea população vote e decida sobre uma nova forma de representação política?", todos seriam favoráveis. O brasileiro é a favor de chamarpara si a decisão sobre o seu futuro. Em umapes-quisa na véspera das passeatas, 53% dos jovens colocaram que acreditam em si mesmos para conquistar um futuro melhor. Depois vinha Deus e lá atrás, com menos de 5%, o governo. Qual o sinal? Eles querem ser protagonistas da própria história. Cabe à classe política se reconectar e se mostrar um agente confiável.

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

Objetividade é aliada para lidar com o excesso de e-mails

Posted: 4th agosto 2012 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

Objetividade é aliada para lidar com o excesso de e-mails

Qualidade de Vida

Técnica permite mapear terreno, identificar necessidades da área e evitar desperdícios

O e-mail é um grande aliado na vida profissional, mas também deve ser usado com moderação

A boa comunicação é um atributo exigido do profissional moderno. A maneira de se relacionar com as equipes, clientes e parceiros deve ser eficaz, clara e consistente. Esses objetivos nem sempre são fáceis de serem atingindos devido ao volume excessivo de e-mails que circulam na rede mundial de computadores e entopem caixas postais eletrônicas pessoais e corporativas. Afinal de contas, tudo se resolve com um email ou há outras formas de comunicação?

A consultora de etiqueta empresarial Célia Leão explica que a rapidez com que tudo acontece hoje exige uma percepção para estabelecer prioridades. “O primeiro passo é entender o que é prioridade: uma ligação, enviar e-mail ou agendar uma reunião? Geralmente, é necessário ligar quando precisamos de uma resposta com um pouco mais de urgência, um esclarecimento ou um contato inicial. O e-mail é um grande aliado na vida profissional, mas também deve ser usado com moderação e o conteúdo deve ser o mais breve possível. E a reunião torna-se necessária quando o assunto for um pouco mais complexo”, sugere Célia.

Com mais de 600 eventos para cuidar durante o ano, a supervisora de Experiência de Marcas da Monsanto, Marli Ricetti, precisa administrar bem o seu tempo e manter uma organização na troca de e-mails, que chegam a 500 por dia. “Eu verifico sempre as mensagens e não deixo nada pendente para o dia seguinte. Primeiro, separo os e-mails por assunto, já vou lendo atentamente e respondo na mesma hora, dando prioridade aos prazos correspondentes”, comenta Marli.

Quem segue o mesmo ritmo de trabalho é a assistente de Assuntos Corporativos, Ivani Alexandre. Ela acredita que a organização é fundamental para conseguir controlar as centenas de e-mails que recebe todos os dias. “Vejo a urgência do pedido e, se for uma resposta rápida, muitas vezes um telefonema é melhor. Os e-mails são importantes para documentar um assunto, mas devem ser objetivos e somente para as pessoas que necessitam da informação”, afirma Ivani.

Priorização de tarefas

Além de destacar a objetividade como ponto importante em todas as situações, o supervisor da área Infraestrutura de IT da Monsanto, Edson Alves,  aponta outros itens que devem ser levados em consideração nas trocas de e-mails. “Sugiro que os  e-mails sejam objetivos e que o campo assunto contenha o tema da discussão, facilitando a visualização e avaliação do que deve ser tratado e como”, ressalta Alves.

Deve-se estar atento para que as caixas de entrada não fiquem lotadas. Ao receber um e-mail, ler com bastante atenção e responder o mais rápido são boas soluções. Outro cuidado é evitar usar o item “responder a todos” sem necessidade. “Tente enviar a resposta apenas para as pessoas que realmente precisam da informação”, alerta Alves

Marli, há 20 anos na Monsanto, e Ivani, há 14 anos na companhia, admitem que a dinâmica de trabalho mudou muito nos últimos tempos. Um documento, por exemplo, demorava mais tempo para ficar pronto. “Antes, eu datilografava um memorando com papel carbono e esperava de dois a três dias para que todas as pessoas pudessem tomar conhecimento. Hoje, com o uso do e-mail, todos ficam sabendo das decisões na mesma hora”, conta Marli.

Embora o avanço da tecnologia tenha proporcionado maior agilidade no trabalho, ela não substitui o contato pessoal e os relacionamentos. “Acho que o uso do computador contribuiu para que as pessoas se tornassem distantes umas das outras. Por isso, uso o e-mail somente para fins profissionais”, comenta Ivani. “A internet auxilia que as informações cheguem em tempo real, mas absolutamente nada substitui o calor humano. É importante criarmos raízes, tanto nos contatos profissionais quanto na vida pessoal”, afirma a consultora de etiqueta empresarial Célia Leão.

Objetividade é aliada para lidar com o excesso de e-mails

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

O que acontece na Internet em um minuto

Posted: 11th julho 2012 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

por Marco Petucco – Espiral Interativa

Sabemos que, na era digital, o volume de informações a que somos submetidos é absurdo. Mas será que temos realmente noção do tanto de dados que são gerados na Internet a cada minuto?

A empresa de inteligência de negócios, Domo, reuniu informações de diversas fontes para preparar o infográfico “Data Never Sleeps – How Much Data Is Generated Every Minute?” (em tradução livre: “Os Dados Nunca Dormem – Qual a Quantidade de Dados Gerados a Cada Minuto?”).

Algumas das informações mostram que, a cada minuto, são criados 571 novos sites, o YouTube recebe 48 horas de vídeos, o Google realiza 2 milhões de buscas, 100 mil novos tweets são postados, mais de 204 milhões de e-mails são enviados, entre outros números interessantes.

Confira o infográfico completo abaixo (clique na imagem para ver em tamanho maior):

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

Google+ anuncia mais integração com YouTube

Posted: 5th novembro 2011 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

Google+ anuncia mais integração com YouTube

Em seu blog oficial, o Google anunciou uma maior integração entre o YouTube e o Chrome em sua rede social

04 de Novembro de 2011 11:40

Por Mariana Barreto
De Pittsburgh

Agora, é possível reproduzir vídeos do YouTube por meio de um link que foi inserido na parte superior direita da interface do Google+. Ao deslizar o mouse sobre o ícone, aparece a pergunta: “What would you like to play?”.
Depois de inserir o nome de um vídeo, músico ou banda favorita, uma janela se abre mostrando uma lista de vídeos relacionados que podem interessar.
A empresa também anunciou duas novas extensões do Google Chrome +. A primeira é semelhante a uma versão lançada anteriormente que permite adicionar sites, mas agora também é possível compartilhá-los com os círculos direto na interface do Google+. A segunda extensão permite ver as notificações do Google+ diretamente no navegador Chrome.

Google+ anuncia mais integração com YouTube

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

Usuários ativos do Facebook não ligam para privacidade

Posted: 25th outubro 2011 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

Usuários ativos do Facebook não ligam para privacidade

Gallup revelou que apenas 26% dos usuários mais ativos da rede realmente se preocupam em preservar a imagem

20 de Outubro de 2011 00:37

Pesquisa realizada pela consultoria Gallup com dois mil adultos nos Estados Unidos revelou que 26% dos entrevistados que usam o Facebook diariamente são "muito preocupados" com privacidade, em comparação a 35% dos semanais e 39% das pessoas menos frequêntes.
De acordo com a pesquisa publicada pelo jornal USA Today, 87% dos entrevistados que ativam o Facebook diariamente perceberam os novos recursos de privacidade, em comparação com 34% dos que utilizam o site menos de uma vez por semana.
A consultoria apontou que as medidas são impopulares entre os usuários, com 56% dizendo que não gostaram das novidades, e 36% que aprovam o novo formato do site.

Usuários ativos do Facebook não ligam para privacidade

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

Bing avança nos EUA

Posted: 25th outubro 2011 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

Bing avança nos EUA

Serviço de busca da Microsoft Bing elevou sua participação no mercado americano de 7%, em 2009, para 15% atuais

20 de Outubro de 2011 17:02

O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, disse nesta quinta-feira, 20, nos Estados Unidos, que o Bing ganhou relevância ao elevar sua participação no mercado americano de 7%, em 2009, para os 15% atuais.
O Google lidera confortavelmente o mercado de  serviços debuscas com 65% de participação no mercado norte-americano.

Bing avança

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

Google considera comprar Yahoo

Posted: 25th outubro 2011 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

Google considera comprar Yahoo

Depois da Microsoft, imprensa americana especula que a Google poderá injetar dinheiro para assumir o Yahoo

24 de Outubro de 2011 09:05

Apesar de não confirmar oficialmente, o Google poderá injetar dinheiro para assumir a gestão do Yahoo. Segundo a edição de sábado do Wall Street Journal, a gigante estaria conversando com duas empresas privite equity para viabilizar a operação.
É a segunda vez em menos de uma semana que rumores sobre a venda do Yahoo circulam no mercado norte-americano. Na semana passada, a Microsoft ficou no centro dos interessados em assumir o Yahoo.

Google considera comprar Yahoo

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

Busca impulsiona receita publicitaria online

Posted: 25th outubro 2011 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

Busca impulsiona crescimento da publicidade online

No entanto, display crescerá mais rápido até 2013, indica pesquisa global

24 de Outubro de 2011 18:55

Por Cibele Santos

No começo deste mês, a ZenithOptimedia divulgou uma versão atualizada das suas previsões para o mercado publicitário global, reduzindo em 0,5 ponto percentual as estimativas publicadas em julho. Mas apesar desse pequeno reajuste, que reflete um desaquecimento da economia mundial mais acentuado do que o previsto, os dados ainda são animadores: os anunciantes aumentarão seus budgets em 3,6% em 2011, elevando o volume global para US$ 466 bilhões — 40,2% dos quais serão dedicados à TV, 20,2% a Jornal, e 15,8% à internet. Em termos de crescimento, porém, a publicidade online não só continuará campeã neste ano, com avanço de 13,3% ano a ano (contra ganho de 4,6% de TV e queda de 2,7% de jornal), mas se tornará a segunda maior mídia do mundo em 2013.
Segundo a agência do Publicis Groupe, neste ano as buscas patrocinadas manterão a parte do leão das verbas online, com 48,7% do total, share que continuará achatado até 2013. Por outro lado, display, que hoje detém 34,9%, avançará para 36,5%, enquanto a fatia dos classificados recuará de 16,6% para 14,7%.
O estudo atribui o avanço de display às novas tendências do mercado. "Apesar de as buscas patrocinadas estarem crescendo a uma taxa anual média de 14,6%, seu desempenho está sendo ligeiramente contido pelas mudanças do comportamento de busca — do desktop para os devices móveis, que exigem menor investimento dos anunciantes." Já o segmento de display, com ganho médio anual de 17,2%, está sendo beneficiado pelo vídeo online e a mídia social. "A publicidade em streaming vídeo está avançando extremamente rápido, graças à emergência de ferramentas do tipo do-it-yourself, que permitiram a pequenos anunciantes locais entrarem no mercado. Além disso, nos países mais desenvolvidos, os sites de mídia social estão perto do topo da lista dos mais populares, e geralmente muito à frente dos seus rivais em termos do tempo dedicado pelos usuários."
Mobiles
Os dispositivos móveis são um fator essencial na mudança de hábitos dos consumidores. Em 2012, diz a Google International, haverá 5 bilhões de mobiles em uso — o equivalente a 70% da população mundial. E como é mais fácil digitar e navegar na web em smartphones do que em feature phones, a atividade de busca online só terá a ganhar com os futuros upgrades dos celulares. Segundo o CEO Larry Page, 15% das buscas feitas no Google já são feitas via mobiles, o que está gerando receita adicional de US$ 2,5 bilhões (ele não discriminou a contribuição de busca versus display).
No Yahoo, essa proporção é de 20%, o que significa mais de 500 milhões de buscas mensais por mobiles em nível global. Shashi Seth, vice-presidente de produtos de busca do portal, disse recentemente que os smartphones produzem maior rendimento por busca (RPS) do que os features phones, e que sua receita mobile "continua crescendo cerca de 100% ano a ano".
Mas existe uma grande ameaça à busca mobile — os aplicativos, como alertou Aaron Goldman, autor do livro "Everything I know about marketing I learned from Google". Em um dos capítulos, ele observa: "É muito mais fácil interagir com conteúdo via apps do que com páginas da web. E é muito mais fácil completar uma tarefa por meio de instruções do que por search queries. As buscas não estão acontecendo em celulares; as pessoas estão usando apps. É onde está a oportunidade de entrega da publicidade."

Busca impulsiona receita publicitaria online

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

Microsoft quer comprar Yahoo

Posted: 21st outubro 2011 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

Microsoft poderá comprar Yahoo

Empresa de privite equity estaria preparando proposta formal de compra que deve ser apresentada nos próximos dias

21 de Outubro de 2011 00:49

A imprensa americana publicou nesta sexta-feira, 21, que o privite equity Silver Lake Partners está trabalhando com o Canada Pension Investment Board (um de seus investidores), juntamente com a Microsoft, para montar uma proposta de compra do Yahoo Inc.
A informação partiu de fontes diretamente ligadas às empresas e foram publicadas, primeiramente, pelo Wall Street Journal. Segundo a proposta em discussão, a Microsoft iria colocar vários bilhões de dólares de financiamento, com crédito adicional a ser organizado pelos bancos, disseram as fontes.

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter

5 ferramentas de mídia social Gratis para economizar seu tempo

Posted: 17th outubro 2011 by Redação Blog Agência Impacto in Dicas para seu site

 

5 ferramentas de mídia social grátis para  economizar seu tempo

Por Tasha Cunningham The Miami Herald

Tasha por Cunningham
Especial para The Miami Herald

Muitas pequenas empresas não estão usando as mídias sociais a seu favor, pelo menos de acordo com uma pesquisa realizada em maio passado por Londres-baseado Opinium Research. A empresa realizou entrevistas online com 304 donos de empresas dos EUA e gerentes, com mais de 200 deles fundadores de suas empresas. Cada empresa tinha menos de 250 empregados.

Então, por que não são mais pequenas empresas engajar-se em meios de comunicação social? Segundo a pesquisa, não acho que é valioso para o que eles fazem e eles não têm tempo. , Baseando-se boca a boca e publicidade funciona para algumas pequenas empresas, outros têm encontrado grande sucesso e aumento das receitas de incorporar a mídia social em seu mix de marketing.

Se você é um daqueles donos de pequenos negócios que está em cima do muro sobre o impacto da mídia social pode ter no seu negócio, pense nisso: Com mais de 500 milhões de usuários, se o Facebook fosse um país, seria o terceiro maior do mundo . Em setembro, o Twitter, fundada em 2006, anunciou que tinha 100 milhões de usuários ativos. Isso é só para começar. Existem outras redes sociais, como YouTube e LinkedIn, que também tem milhões de usuários.

Então, como um pequeno empresário, se você tivesse que escolher apenas duas redes sociais, você terá aumentado o seu conhecimento da marca muito e expostos seus produtos e serviços a novos clientes potenciais no processo. Mas isso ainda deixa a questão do tempo. Atualizar suas redes sociais e envolver os seus seguidores, fãs e colegas pode parecer um trabalho de tempo integral. Mas não tem que ser. BizBytes encontraram cinco social livre ferramentas de mídia de marketing que você pode economizar tempo e dinheiro à medida que crescer a sua presença em redes sociais.

1. Polly.IM: Esta ferramenta gratuita monitora o Twitter para descobrir o que as pessoas estão dizendo sobre sua marca. Quando você é notificado de que alguém está falando sobre o seu negócio no Twitter, a ferramenta sugere suas respostas e enviar mensagens para clientes em seu nome. http://polly.im/

2. Timely.is. Com Timely.is, você pode descobrir o tempo durante o dia quando as pessoas na maioria das vezes ler o seu post. Para poupar tempo, esta ferramenta lhe dá a habilidade para escrever seus tweets com antecedência e mandá-los ir viver durante esses tempos. http://timely.is/ # /

3. Roost: Para o proprietário da empresa ocupada pequena, esta ferramenta gratuita é um must-have. Roost permite-lhe criar um único post e enviá-lo para o seu Facebook e páginas do Twitter de uma vez. Você pode escolher a data ea hora que quiser as suas mensagens para sair. Roost também faz sugestões de conteúdo para ajudá-lo a maximizar o impacto de sua mensagem. http://www.roost.com/

4. OnlyWire: OnlyWire oferece um serviço gratuito que irá enviá-lo para mais de 40 redes sociais de uma só vez, incluindo Yelp e LinkedIn. Com a conta gratuita, você pode enviar até 300 mensagens por mês. Para tão pouco quanto $ 10 por mês, você pode enviar mais, se você precisar. Esta ferramenta é utilizada por grandes marcas, incluindo Time Warner, GE e Cisco. http://onlywire.com/

5. CrowdBooster. Quando você usa mídias sociais para comercializar o seu produto ou serviço, você quer saber se ele está funcionando. CrowdBooster é uma ferramenta gratuita que analisa suas campanhas de mídia social no Facebook e no Twitter e mostra que está funcionando eo que não é. Ele é usado por grandes marcas como Ben & Jerry e JetBlue. www.crowdbooster.com .

5 ferramentas de mídia social livre comercialização economizar tempo – Negócios Segunda-feira – MiamiHerald.com

Compartilhe:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • email
  • Ping.fm
  • Twitter